segunda-feira, outubro 6

CHÁ QUENTE #397

"...Esta concepção, assente no “esvaziar do cartucho” num só premir do gatilho (o acto de votar), pretende ignorar a necessidade e obrigação do cidadão-eleitor acompanhar e fiscalizar o sistema político, contribuindo, diariamente, para o aprofundamento do regime democrático..."

O VOTO É UMA “ARMA”?, ontem no Diário Insular e n' O Bule do Chá

1 comentário:

Papio cynocephalus disse...

http://issonaodapao.blogspot.com/2008/10/as-merdas-que-uma-sociedade-civil-pode.html