quarta-feira, setembro 17

CHÁ QUENTE #392

Simplificando o "insimplificável", é quase como se a crise do sub-prime estivesse para o capitalismo como a crise da ex-URSS esteve para o comunismo. No papel é tudo perfeito, o pior está na aplicação. Cambada de teóricos...

1 comentário:

eu quero ser califa disse...

Pode chamar-lhe "crise do sub-prime", "crise financeira", "crise do bacalhau com batatas", se quiser.

Mas a verdade é que o fundamento da situação actual é o processo de "financeirização" da economia, em que quantidades crescentes de capital são retiradas à "economia real" e investidas em sectores não-produtivos, que vivem da especulação e das expectativas psicológicas colectivas dos investidores.

Mais uma vez remeto-o para a leitura do Manifesto do Partido Comunista e segmentos do Capital de Karl Marx e entenderá melhor os fundamentos da crise (inevitável) que vivemos. Estude mais.

Quanto ao que diz sobre a URSS, veja lá que até George Bush (tal como Hugo Chavez) já começou a fazer nacionalizações!
Se calhar não eram receitas assim tão gastas.