quarta-feira, julho 9

É d'HOMEM #127

Quando a Comissão Municipal de Toponímia da Câmara Municipal de Ponta Delgada apreciou a proposta da Presidente da Câmara Municipal para a entrega da Chave de Honra do Município ao Presidente da República, Cavaco Silva, Gustavo Moura apresentou uma declaração de voto de sentido negativo sustentada no "entendimento redutor do regime autonómico e dos seus princípios fundadores, sufragado, por mais de uma vez e nas mais diferentes circunstâncias, em eleições livres e de resultados bem claros, nas Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores" que a prática política, de Cavaco Silva, como Ministro das Finanças e Primeiro-Ministro, no que respeita às Autonomias insulares, sempre revelou.
A declaração de voto foi subscrita pelos membros da Comissão Dr.ª. Maria José Duarte, secretária da Comissão, e pelos vogais Eng.º. Augusto Cymbron, Emanuel Carreiro e Dr. Miguel Soares Silva. Apenas votou a favor o Presidente da Comissão José Andrade. O parecer não era vinculativo e a Câmara Municipal decidiu-se pela entrega. Por mais que não queiram, a História e a sua memória, são preciosas à Autonomia Açoriana do presente e do futuro. Obrigado Senhor Gustavo Moura.

3 comentários:

Jordao Farias disse...

Apoiado!

Anónimo disse...

Faltou acrescentar que Cavaco foi sufragado nos Açores em eleições não menos livres e de resultados não menos claros ... É a representatividade do sistema a funcionar !!!

gm disse...

Caro Sr. Anónimo a sua questão é resolvida 2 posts abaixo.


http://chaverde.blogspot.com/2008/07/ch-quente-246.html
ou aqui
http://buledocha.blogspot.com/2008/07/um-acto-falhado.html