domingo, dezembro 30

CHÁ DAS CINCO #227

"...Nos Açores, à direita, portanto, ideologia precisa-se! Ideologia que, a meu ver, só pode surgir de uma de três maneiras: havendo uma adesão significativa de novas gerações aos partidos políticos existentes “no mercado”, no sentido de os mudar por dentro, coisa que duvidamos que aconteça uma vez que o status quo partidário permanece blindado; através da formação de um movimento de pensamento (os think tank) ou associação de cidadãos independentes cujo pragmatismo de propostas lastradas ideologicamente possa ser assimilado pela partidocracia existente (veja-se o caso do Compromisso Portugal) (*); ou, finalmente, através do surgimento de um novo partido político com base estatutária e um programa de governo que reflectissem o pulsar dos movimentos globais que acreditam no cidadão, nas suas capacidades e competências, concretizados na defesa da livre concorrência e iniciativa, na responsabilidade e autonomia individual, na subsidiariedade, na auto-regulação, no mérito e empreendedorismo, na ética social e solidariedade, na tolerância e pluralidade e na igualdade de oportunidades..."

ZERO À DIREITA (II), no Diário Insular ou revisto n' O Bule do Chá

1 comentário:

tarrasso disse...

isso esta parcialmente a acontecer com o PSD nacional a demonstrar claras influencias do think tank blogueiro blasfemo ... e mais quando se verifica que estas ideias comecam a ter cada vez mais aceitacao, tanta mais quanto o numero dos deserdados do orcamento de Estado aumenta e os patos que o sustentam teem cada vez menos penas ...