terça-feira, fevereiro 6

CHÁ DAS CINCO #164


E, pelos vistos, ninguém quer falar do essencial. E, em matéria de fundos comunitários para 2007-2013, o essencial é saber se vamos estar todos «remar para o mesmo lado», ou seja, se as câmaras muncipais da Região vão continuar a gastar os seus plafonds em relvados sintéticos, rotundas e fontanários ou se vão privilegiar os projectos intermunicipais, que incentivem o investimento local, e os projectos decorrentes do exercício das suas competências em matéria de educação e ambiente?

5 comentários:

sunny_zryu disse...

Very good article,I prepared a very good gift for you, please visit my blog, The best browser fo you in History

claudio almeida disse...

Concordo, mas também concordo que o governo regional deveria seguir este exemplo que está a dar. De aplicar os fundos em políticas essenciais para o nosso desemvolvimento.

gmarinho disse...

Sobre o QRESA remeto para o que escrevi entre Abril e Julho do ano passado e que foi publicado no Diário Insular.
Se tiver paciência:
http://buledocha.blogspot.com/

claudio almeida disse...

Qual dos artigos?

gmarinho disse...

Estratégia I a VI