sexta-feira, janeiro 19

CHÁ QUENTE #261


Diz que Costa Neves comparou a governação dos Açores aos "regimes soviético e cubano". Diz, ainda, que o líder do PSD/Açores sublinhou que "Carlos César está tão agarrado ao poder que se arrisca a tornar num novo Fidel de Castro".
Não diz que há poucos meses «A Propósito de uma Atitude Infame» apresentou uma «Carta Aberta a Carlos César» nem diz que na sua biografia constam, pelo menos, 11 anos como membro do Governo Regional (Secretário Regional da Administração Interna - 1988/92, Secretário Regional dos Assuntos Sociais - 1981/88). Também não diz que está só, que a vice-presidente do partido nunca comparece às conferências do líder, nem que os gurus economistas não o ajudam na arte dos números.

Diz que o vice-presidente da câmara municipal de Ponta Delgada confirma que “apesar de ter sido realizada a vistoria ao restaurante MacDonald's, tendo os pareceres da comissão encarregue deste tipo de avaliação sido todos positivos, o proprietário do espaço ainda não requereu junto da câmara a emissão da licença de utilização”, diz também que afirma que “apesar da licença ainda não ter sido emitida, e como os pareceres não indicaram qualquer motivo para que o restaurante não funcionasse, não há razão alguma para que este permanecesse encerrado”.
Não diz se é essa a regra na CMPDL e se a Sr.ª Presidente conhecia esse facto quando se deslocou à inauguração do espaço.

Diz que uma empresa abandonou o actual consórcio que procede à construção do Parque de Estacionamento do Largo de São João, em frente ao Edifício do Teatro Micaelense, diz também que é precisamente a que detinha o know-how relativo à exploração de parques de estacionamento, obrigando a empresa construtora da obra a criar à pressa uma empresa especificamente para o efeito".
Não diz se a Sr.ª Presidente confirmou e se garantiu que a obra decorrerá em segurança e como projectado. Também não diz se o projecto dos parques subterrâneos na marginal fica afectado.

Diz que a JSD/Açores anunciou a apresentação, dentro de três meses, de propostas para fixar os jovens nos seus locais de origem, alegando que algumas ilhas açorianas têm registado "uma diminuição preocupante" da população. Diz também que a JSD/Açores vai fazer uma “auscultação junto dos concelhos mais distantes e ilhas mais pequenas”, caso de São Jorge e Graciosa, onde se têm verificado dificuldades na fixação de jovens e que vão “primeiro ouvir as pessoas que vivem essa realidade”.
Não diz que promoveram jornadas parlamentares em São Miguel para declarações de circunstância sem soluções concretas contra a desertificação.

Diz que é uma espécie de partido. Diz que já se suspira pelo regresso de Vítor Cruz. Mas, também, diz-se tanta coisa que deve ser tudo diz que disse…
***
Porque onde andará Pedro Gomes desde que não rejeitou, aos microfones da RDP/A, a possibilidade de se candidatar à liderança?
***
Sobre o PSD/A a ler «O estado da oposição», José Pacheco Pereira (PÚBLICO, 18.1.2007). Lá como cá! Por mim caso encerrado, nem mais uma linha até às famosas directas…
[Adenda] 31.01.07
Só hoje reparei no conjunto de comentários a propósito de uma eventual crítica à JSD.
Esclareço os apressados jovens comentadores que a referência à JSD vai como contraponto positivo às jornadas parlamentares do grupo parlamentar do PSD como bem se pode depreender dos links respectivos.
"Assosseguem" os vitupérios e continuem as proposituras...

9 comentários:

Anónimo disse...

Homem, quando o general é mau não há aspirante que resista e os sargentos piram-se.
Abraço

joseaugustosoares disse...

Quando o navio está sem rumo, os ratos costumam abandoná-lo.
Mas estou certo de que, com um qualquer novo timoneiro, mesmo que não saiba rota nenhuma, os mesmos ratos voltarão à bajulação...
É sempre assim.

Anónimo disse...

o pacheco pereira não estava a falar tanto do psd como do ps?!? parece que a partidite às vezes cega... ou terá sido a pressa em colocar o post que não o deixou ver o artigo até ao fim?

Anónimo disse...

Viva à JSD Açores

jgoncal disse...

Antes de mandar basoseiras, vamos a factos.

A JSD vai, de facto, apresentar propostas contra a desertificação. Para isso, está a ser realizado um trabalho de fundo para se conhecer a realidade local e desenvolver-se novas soluções. O que fez a JS sobre este assunto? ZERO!
A JSD fará uma campanha de informação sobre a Interrupção Voluntária da Gravidez e Planeamento Familiar. O que fez a JS relativamente a esta matéria? ZERO!
A JSD apresentou propostas sobre o Ensino Superior na Região, sobre a sobre o Estatuto Político - Admnistrativo, sobre o Modelo Educativo Regional, e fez mostrar a sua posição relativamente à Lei de Finanças Locais e Regionais bem como ao Dia Mundial da Juventude, que não chegou a todas as Ilhas. Sobre isto o que fez a JS? ZERO!
A JSD não fez show-off político quando se comprometeu a fazer um pacto com a JS sobre questões fundamentais da Região. Até agora, quem propôs o pacto, a JS, não mais falou dele. Tratou-se pura e simplesmente de uma jogada apenas mediática.

Quer mais argumentos ainda?!
Gosta de criticar, mas, é bem mais ingénuo do que pensa.
Antes de dizer disparates, procure saber um pouco mais. Ao menos, deixe a veneração da JS de lado. Há que ser, no mínimo, coerente quando se faz um reparo a alguma coisa.

Anónimo disse...

Este é o tipo de artigo de alguém que não percebe nada da matéria, mas quer dar a entender o contrário.

O pseudo intelectual deste artigo devia procurar ajuda, de modo que no futuro consiga fazer uma análise política correcta e não o conjunto de baboseiras que estão retratadas neste artigo

Rui Gamboa disse...

Parece-me inadequada a critica à JSD-A, porque a questão da desertificação de algumas ilhas dos Açores é da maior importancia e necessita de soluções. Como é evidente o problema passa pelos jovens, daí a Jota (social-democrata) chamar a si essa responsabilidade. A JSD decidiu-se, e bem a meu ver, pelo diálogo, por ouvir as partes interessadas, antes de tomar qualquer posição. Realmente, compreende-se que este tipo de atitude levante alguma estranheza, para quem está habituado a tomar decisões unilateralmente, pensando apenas nos seus próprios interesses e não nos das pessoas.

De certeza absoluta que a solução não passa pelas 'Ilhas de coesão' que antes de ser um projecto para o desenvolvimento económico das ilhas visadas, é um projecto para o aumento da influência do poder do governo regional.

O "diz que" remete-nos para outro problema que é o papel da comunicação social e se está ou não a cumprir o seu papel.

gmarinho disse...

hooops, só agora reparei no conjunto de comentários a propósito de uma eventual crítica à JSD.
Esclareço os apressados jovens comentadores que a referência à JSD vai como contraponto positivo às jornadas parlamentares do grupo parlamentar do PSD como bem se pode depreender dos links respectivos.
Assosseguem os vitupérios e continuem as proposituras...

Anónimo disse...

Destas história de partidos à uma verdade a dizer. Antes fazer parte de um partido que faz pouco do que um que não o faz. Pelo menos na JSD temos poder de decisão cada um... Ao contrario dos nossos amigos da JS, visto que tive um militante da mesma que me veio mostrar o seu desagrado pois no congresso que foi era o lider a dizer sim e todos diziam sim e o mesmo para o não. Na JSD isto nunca irá acontecer..