sábado, maio 14

É d'HOMEM #31

O DESPACHO que viabilizou o abate de sobreiros para o empreendimento turístico do Grupo Espírito Santo, em Benavente, foi assinado já depois das eleições de 20 de Fevereiro, em que os partidos do Governo foram derrotados, e não antes, como consta da data oficial (16 de Fevereiro). Documentação a que o EXPRESSO teve acesso revela que Luís Nobre Guedes foi o primeiro a assinar, mas só na semana a seguir às legislativas apelou a Costa Neves, ministro da Agricultura, e a Telmo Correia, ministro do Turismo, para subscreverem com urgência o documento.


...e assim, perante isto, eu só quero é rir!

6 comentários:

João Pacheco de Melo disse...

Benavente ficará mais próximo de Portalegre, ou de Angra do Heroísmo?

vermelhoFaial disse...

É tudo farinha do mesmo saco. Também não deixa de ser estranha a preocupação do Procurador geral da Rep. com a defesa do bom nome desta tropa. Pelos vistos ainda há mais uns negócios de submarinos por esclarecer e mais umas coisitas relacionadas com o Freeport.
É sempre salutar uma mudança de governo, apesar de nunca dar em nada.

gmarinho disse...

...é gente muito despachada!
Eu diria que a meio camnho entre Portalegre e Angra ficou Benavente e não mais deverá daí sair.

frosado disse...

É a "postura de estado"!

Anónimo disse...

What a great site »

Anónimo disse...

Best regards from NY! »